Cruzeiros Românticos

Ainda está para ser inventada viagem mais romântica do que aquela que os cruzeiros oferecem: uma cidade de luzes e sons deslizando sobre a água. O que os cruzeiros românticos têm a oferecer a um casal apaixonado é tanto e tão diversificado que devia haver um subsídio de todos os estados deste mundo para uma viagem, uma vez na vida, a todos os amantes deste planeta. 

Não podendo contar com esta prenda governamental, deixemos a política de lado e centremos os nossos olhos no mar: você está aqui, na proa do cruzeiro. Olhe para baixo: a faca lancinante do navio a cortar metros de espuma em ondas. Olhe em frente: os brilhos da água sob o sol. Olhe para trás: o seu companheiro de vida segura-a e você lembra-se daquele filme que a fez chorar no cinema. Mas não se arrependa: nem você vai cair nem o cruzeiro vai desabar – há coisas que só o acaso e os filmes podem criar. Passaram 100 anos desde o Titanic, a segurança nestes cruzeiros é maior do que quando você sai de casa e vai trabalhar – pode sempre acontecer algum condutor embriagado aparecer-lhe pelo caminho. Aqui, não. Não há congestionamento de navios, o mar é todo seu. Aproveite-o.

Seja pelo Mediterrâneo, em rotas antigas de especiarias, seja pelo progresso transatlântico em busca de novos mundos, as férias românticas em cruzeiros mantêm, apesar da diferença do luxo que hoje há e não havia há séculos atrás, a mesma pulsão da descoberta. Se quer viajar com o (a) seu (sua) namorado (a)/marido (a)/apaixonado (a), tire uns dias e faça um cruzeiro a dois. Só os dois. Deixe os filhos, os tios, os primos e os cães em casa. Vá sem limites. Aproveite a espectacular montra que o cruzeiro oferece: piscinas, bares, concertos, casinos, discotecas, cinema, debates literários, restaurantes. Aproveite de tudo e muitas vezes. E, de vez em quando, volte à proa e depois à popa, para entender que está num maravilhoso mundo de imaginação: um país sobre a água.


E quando a água acaba, principia a terra. A terra de cidades portuárias fantásticas: Lisboa, Buenos Aires, Nápoles, Rio de Janeiro, Luanda, Lima, Nova Iorque, Melbourne, Tóquio, Los Angeles, Tunes. O navio acomoda-se ao leito destes sítios e fica a repousar uns dias, enquanto as suas férias românticas continuam em solo firme. Vá comprar recordações, fotografar instantes, comer o que nunca experimentou. Ou fique só em pé, vendo as pessoas. Cheirando os aromas que vêm dos lugares que você viu várias vezes na televisão. E depois volte para a sua cidade flutuante. O navio mergulhará outra vez no mar em direcção a novo destino.

É possível inventar melhor sítio para viajar?